Viticultura de precisão

O que é afinal a viticultura de precisão?

Pedimos ao Vasco Rosa Santos, um dos nossos enólogos, que nos ajudasse a entender do que se trata e de que forma ajuda na produção dos nossos vinhos.

A viticultura de precisão é a técnica ou o conjunto de tecnologias que melhoram a decisão do agricultor na procura do melhor produto, com o mínimo impacto possível na sustentabilidade do seu maior ativo, a terra, e a cultura que a ocupa. Em 2012, o Monte da Ravasqueira teve a necessidade de rever as suas práticas para garantir a produção dos melhores vinhos, a partir de vinhas existentes, plantadas em 2002. As vinhas não mudaram para melhor ou pior. O objetivo foi atingir algo diferente, separando a priori as diferenças dentro da vinha, antes da uva chegar à adega, e conseguir essa separação com dados fiáveis e lógicos.

Optou-se, então, pelo mapeamento de NDVI (índice de vegetação), uma técnica que permite mostrar o potencial vegetativo de uma cultura (interação com a luz solar) e dar cores diferentes aos diferentes potenciais. O mapa gerado divide-se desde a cor azul (potencial vegetativo maior — maior número de folhas e/ou mais saudáveis) à cor encarnada (potencial vegetativo menor – menor número de folhas e/ou menos saudáveis). São feitas várias análises aos solos, às folhas e, por fim, aos bagos (índice Polifenóis Totais e Antocianas Totais) para confirmar que as diferenças são reais e que, com a sua separação, se consegue obter um vinho diferente.

A Ravasqueira tem 45 hectares de vinha, dividida em 28 blocos. Costumamos dizer, a quem nos visita, que não temos uvas melhores ou piores, mas uvas ideais para cada perfil de vinho pretendido. Poderíamos afirmar que certa uva, ideal para fazer um vinho Icon, nunca será a uva ideal para fazer um vinho rosé e vice-versa.

Esta separação dá a possibilidade de termos uma gama de perfis de vinhos distintos e juntá-los, consoante o que pretendemos, no final. A magia do enólogo não se perdeu e a feitura dos lotes só engrandeceu. A análise sensorial continuará a ser muito importante na constituição do produto final e só por desconhecimento se poderá tirar o mérito a quem utiliza estas ferramentas. Do ponto de vista interno, conseguimos complementar alguma informação além daquela que já existia do ponto de vista comercial e adicionar esta ferramenta. Poderá ser utilizada em função do tipo de recetor para valorizar o produto. O Monte da Ravasqueira quer continuar este percurso, utilizando a tecnologia ao seu dispor, para melhorar a sua eficiência e a gestão do seu maior ativo, fazendo chegar ao cliente o melhor vinho, adequado a cada perfil de consumidor.