Destaque


2tituloDestaque.png

 

Monte da Ravasqueira Superior Tinto 2016 ocupa 37º lugar no TOP 100 Best Buys 2018.

A conceituada revista norte-americana Wine Enthusiast classificou, na sua edição de novembro, o Superior Tinto 2016 com 90 pontos e uma das 100 melhores compras do mundo de 2018, entre mais de 1400 garrafas oriundas de 16 países.

A lista com mais vinhos apurados de sempre e que integra nove vinhos portugueses com melhor relação qualidade/preço, num patamar de cerca de dez euros, selecionou mais de 35 variedades de uvas diferentes e os melhores vinhos merecedores de divulgação.

Produzido a partir das castas Touriga Nacional, Aragonez, Syrah e Alicante Bouschet, Monte da Ravasqueira Superior Tinto 2016 é descrito como um vinho “jovem, com taninos secos e acidez suculenta, simultaneamente perfumado e firmemente estruturado”, por Roger Voss, editor europeu da Wine Enthusiast.

Monte da Ravasqueira Superior Tinto 2016

 

3fotoEntrevista.jpg

Créditos Fabrice Demoulin 100 Maneiras

 

ENTREVISTA


Entrevista com Manuel Maldonado

No decorrer do almoço vínico “Fora da Casta”, realizado no dia 9 de novembro, no Bistro 100 Maneiras, falámos com Manuel Maldonado, Chefe executivo do Grupo 100 Maneiras e responsável pelo Menu de harmonização com os vinhos Ravasqueira.

Formado pela Escola de Hosteleria Hofmann de Barcelona, trabalhou em Portugal nos conceituados Belcanto de José Avillez (2 estrelas Michelin) e Eleven de Joachim Koerper (1 estrela Michelin), seguindo-se outras experiências internacionais de luxo, entre as quais se destacam L’Atelier de Jean Luc Rabanel, em França (2 estrelas Michelin).

1. Dos quatro vinhos da gama Ravasqueira degustados, qual foi o que mais o surpreendeu e porquê?

O Ravasqueira Late Harvest 2015, pelas notas de manga e pela acidez do vinho.

2. Enquanto cliente, o que escolhe primeiro à mesa? O prato ou o vinho?

Depende da ocasião, mas normalmente o prato.

3. Que critérios tem em conta no processo de harmonização gastronómica?

A estrutura do vinho, os aromas, a posição que os vinhos têm dentro da gama e o próprio menu em si.

4. Qual a importância de uma correta harmonização?

Quando o objetivo é enaltecer e destacar o vinho, como é o caso dos almoços “Fora da Casta”, a preocupação é que a comida não se sobreponha aos aromas do vinho e que sejam estes a prevalecer no final, havendo sempre um equilíbrio entre os sabores.

5. Que perfil ideal de vinhos para uma harmonização de excelência?

O perfil ideal não será do vinho mas do máximo de fatores que consigamos ir buscar na harmonização. Podemos fazer o pairing por aproximação, pairing por contraste e também pairing de região, tentando que o vinho e a comida tenham origens semelhantes e encontrando o máximo desses fatores, para que o prato e o vinho se complementem um e ao outro e não se sobreponham.

NOTICIAS
As novidades de um Alentejo diferente

GAMA RAVASQUEIRA


Prémium Rosé chegou ao mercado e já é destaque

Classificado como “excelente, de grande categoria e potencial”, Ravasqueira Premium Branco 2015, composto pelas castas Viognier, Alvarinho, Semillon, Arinto e Marsanne, é um dos vinhos em destaque na revista Vinho Grandes Escolhas de novembro.

Nascido de vinhas implantadas em solos argilo-calcários, com influência rochosa de granito e xisto, este branco de vindima manual fermentou em barricas novas de carvalho francês. Um vinho de homenagem, com personalidade e perfil sério, que revela toda a paixão pelo terroir único das parcelas que lhe deram origem.

Apresentando “aroma com fumados de barrica, fruto de caroço, especiarias e floral doce ao fundo”, na prova revela-se com “boca larga e cheia, cremoso, muito sabor, equilibrado com acidez no ponto e bem presente, final aristocrático e muito longo”, considerou Nuno de Oliveira Garcia, o provador da referida publicação.

6imagemnoticia1.png


 

 

 

tituloAGENDA.jpg


9data1.jpg


9data2.jpg



9data3.jpg

 

 

 

COLUNA DE OPINIÃO



10fotoColunagrd.gif11tituloAFECHAR.jpg

 

As escolhas de Natal de Cristina de Azevedo Coutinho

Cristina de Azevedo Coutinho, Administradora Executiva do Monte da Ravasqueira, é o garante da boa tradição gastronómica familiar, gosto que adquiriu dos seus pais desde muito cedo e que hoje tem o gosto de partilhar com os visitantes da Ravasqueira que, atualmente, acolhe cerca de 10.000 pessoas anualmente.

 

1. Quais são as suas escolhas gastronómicas para este Natal e como harmonizaria com os vinhos da Ravasqueira?

As minhas escolhas para este Natal são:

• Canja de Perdiz, que sirvo com Ravasqueira Rosé Premium;

• Filetes de polvo com arroz do mesmo, que sirvo com Monte da Ravasqueira Viognier ou Ravasqueira Premium Branco;

• Perú recheado, batata palha, castanhas caramelizadas e ervilhas estufadas, que sirvo com Monte da Ravasqueira Syrah Viognier ou Ravasqueira Vinha das Romãs;

• Merengue com natas e creme de limão, que sirvo com Monte da Ravasqueira Late Harvest

 

2. Qual a receita mais antiga que guarda e para que memórias a transporta?

Tenho várias receitas que guardo e que me transportam para momentos da minha infância, com os meus pais e irmãos, como por exemplo: a canja da panela, que me transporta diretamente para a Ravasqueira (é uma canja que se faz numa panela de ferro, em lume de lenha, e que está a fervilhar durante 48 horas), a caldeirada de lulas, que me relembra as férias de verão e que normalmente era feita pelo meu pai, a açorda de bacalhau, para qual se usava uma “bailarina” (espécie de chaleira com fundo côncavo, que depois se cozinhava ao lume no chão, durante os piqueniques), as perdizes de azeite e vinagre, que me remetem para a minha infância e, finalmente, qualquer receita relacionada com a matança de porco, na Ravasqueira, que me lembra da minha mãe.

 

3. De onde vem o gosto pela gastronomia?

Tanto a minha mãe como o meu pai gostavam imenso de cozinhar e eu saio a eles! Desde pequena que gosto imenso de cozinhar e sempre que podia ia para a cozinha ver como é que faziam as coisas.

 

4. O que a inspira na seleção de pratos e doçarias que já são referência na Ravasqueira? Que critérios tem em conta?

Inspira-me a época do ano, se está frio ou calor, se é mais ou menos requintado, se são mais ou menos pessoas, se é serviço buffet ou servido à mesa. Todas estas coisas têm impacto na escolha e ajudam na escolha da seleção dos pratos.

 

5. Quais são os pratos e doces mais apreciados?

• Gaspacho

• Perna de borrego assado com batatinhas

• Bacalhau com broa

• Mil folhas

• Praliné de chocolate

 

6. O que não pode faltar na sua mesa de Natal?

O que não pode mesmo faltar na minha mesa de Natal é o peru recheado, as castanhas caramelizadas e o mil folhas.

Aproveite esta época do ano para explorar a gastronomia alentejana, marque a sua mesa e venha até à Ravasqueira celebrar o Natal ou transporte um pouco do Alentejo até à sua mesa harmonizando estas sugestões com os vinhos do Monte da Ravasqueira.



mil folhas



12tituloSABIA.jpg

A vindima deste ano, para o Monte da Ravasqueira, promete vinhos brancos aromáticos e frescos, e tintos elegantes com taninos finos e concentrados.

Apesar da precipitação pouco comum em junho, o ano agrícola ficou marcado por uma das mais quentes e longas ondas de calor, com temperaturas recordes, registadas em agosto, afetando diretamente a quantidade de produção, mas não a qualidade, proporcionando uma maior concentração de uvas.

O balanço é bastante positivo, já que a fruta de cada casta amadureceu com tempo e, a partir da primeira semana de agosto, com temperaturas mais equilibradas.

Será, assim, um ano que despertará atenção e curiosidade, ficando certamente nas nossas memórias como uma das melhores colheitas dos últimos sete anos.